Arquivos da categoria: Suécia

Pode chamar a Aurora, aquela linda (dia 2 no pólo norte)

21 de Janeiro

Clique aqui para a parte 1

Clique aqui para ver a parte 2

Como a Camila disse, conseguimos encontrar a Aurora Boreal na primeira noite em Kiruna/Abisko. Depois de tantos contratempos a nossa insistência valeu a pena e somada à bastante sorte conseguimos alcançar nosso objetivo.

Aurora Sky Station, Abisko, Sweden
Neto, Jeong e o Gui na entrada da Sky Station

Mesmo assim, ainda não estávamos 100% satisfeitos. A Aurora da noite anterior tinha sido um pouco fraquinha e sentíamos que precisávamos tentar mais uma vez, por desencargo de consciência. Consultamos nosso amigo especialista em Aurora (valeu Marco!) e ele nos garantiu uma previsão de atividade boa para a noite. Decidimos ficar.

Continue reading

A CAÇADA, A DANÇA E O LEGADO [pt. 2]

Kiruna, 20 e 21 de Janeiro.

Clique aqui para a parte 1

Pouco tempo depois, após os olhos acostumarem com a escuridão eis que aquela nuvem explode em uma cor verde maravilhosa! Era a Aurora! Meu Deus, era ela aparecendo tímida no céu, graciosa! Eu não parava de gritar “oh my god” (em inglês mesmo, para a Tania entender), o Gui berrava o mais alto que seu pulmão permitia e o Neto sorrindo… Pausa para fotos, temos que registrar isso! Meu Deus, aquilo era maravilhoso…
… para nosso susto, o Neto afunda em um monte de neve – no qual eu achei que fosse água – que mais parecia areia movediça e quase queimou sua pele. Ajudamos a retirá-lo de lá e vamos seguir viagem! Nossa namoradinha estava fraca e começava a desaparecer… será se ela voltaria? Vamos mais ao norte, vamos até a Noruega se precisar, tínhamos que vê-la novamente!

Aurora Boreal em Abisko, Suécia - Pólo Norte
Aurora Boreal em Abisko, Lapônia Sueca

Enquanto aproximávamos de Abisko era visível a diferença na natureza: muitos rios congelados, enormes e maravilhosas montanhas, bem diferente da plana Dinamarca e Suécia que conhecíamos.

Continue reading

A Caçada, a dança e o legado [pt. 1]

20 de Janeiro

Naquela manhã de segunda-feira, ainda em Luleå, conseguimos nosso ônibus para Kiruna. Enquanto isso, Marco Brotto e Sarah Galantini nos auxiliavam sobre a previsão de tempo e a chance de ver a Aurora Boreal. Aparentemente, aquele dia seria nossa única chance.

Com essa roleta russa, a gente não poderia falhar, procuramos algum tour especializado, mas nenhum disponível para o horário que chegaríamos à cidade, caramba, a sorte não estava a nosso favor. Alugamos então um carro via internet e descobri uma Sky Station – uma estação para observar o tão esperado fenômeno, 100km ao norte de Kiruna.

Viajantes do Pólo Norte
Neto, Tania, Camila e o Gui

Já no ônibus arrumamos uma nova companheira: Tania, uma polonesa que veio no mesmo trem de Estocolmo, ficou presa na mesma cidade, tinha o mesmo objetivo e os mesmos problemas climáticos! Ela topou seguir a aventura conosco, enquanto o Gui descansava e eu deixava meu post no Dois +1 sobre nossas incertezas. O clima entre nós era de tensão: um misto de emoção com nervosismo, o medo do fracasso e de decepcionar não apenas nossas expectativas como as de quem nos acompanhava desde o começo.

Continue reading

Dois+1 Na Trip | Memories to keep inside

Nosso foco não era filmar, mas como fizemos alguns takes em alguns poucos lugares, resolvemos juntar tudo e fazer um pequeno vídeo resumindo a nossa viagem. Infelizmente não tínhamos equipamento próprio para filmar a Aurora, mas todo o resto está aí, documentado. Have fun!

Stockholm, plebéias sul-americanas e príncipes encantados

Nossa viagem acabou e estamos a caminho de casa, mas ainda temos muita coisa pra contar. Portanto:

16 a 18 de Janeiro de 2014

– Ô Camila, escreve aí sobre a noite sueca.
– Uai, vou ter que escrever sobre tudinho da Suécia? Sacanagem, sô.
– Não sua besta, é só sobre a noite.
– Mas na Suécia são apenas 5 horas de dia!
-…

Chegamos em Estocolmo destruídos. Depois de passar a madrugada tentando dormir desconfortavelmente num banco congelado na estação de trem em Malmö e nosso trem atrasar uma hora, o Lorenzo nos recebeu com um apartamento aconchegante e um sofá mais que atraente.

Recebemos do nosso couchsurfer todas as dicas de passeio e incentivou que largássemos o cansaço de lado e explorássemos a cidade enquanto o corajoso engenheiro sairia pra correr. Duas horas depois estávamos de volta em casa pedindo trégua.

Clique aqui ou na imagem para ver mais fotos em Estocolmo.

Rock bar Stockholm
Nós num Rock Bar cujo nome não me lembro. Para ver mais fotos de Estocolmo, clique na imagem.

Depois de levantar a bandeirinha da paz para aquela guerra entre o sono e a vontade de sair, acordamos com nosso host em uma nova profissão: cozinheiro. Meu Deus, existe algum italiano que cozinha mal?! Lorenzo fazia um risoto digno de restaurante 5 estrelas enquanto contava um pouco da vida em Estocolmo, Itália e de como virou jogador de vôlei profissional – afinal, o que esse host não sabia fazer?

Continue reading

Iluminado

Aurora, que me tens na cabeça desde o começo disso tudo.

Dois na Trip alcança a Aurora Boreal
Gui no topo do Nuolja, com a Aurora ao fundo

Me fez arriscar tempo, algum dinheiro, horas de pesquisas e estudos, equipamentos e tanto mais. Várias noites em claro se foram, sonhando acordado com seu brilho a vagar pelo céu.

Mal sabia eu que tua doçura seria tão intensa que me deixaria perdido ao olhar tuas curvas nos ares. Me pego alguns segundos a te observar, sem saber se é real ou miragem.
Talvez tenhas olhos de sereia, pois hipnotizado estou.

Vim de tão longe pra te ver, e é com esta simbiose envolvente que me recebes. Nem lembro mais das pedras no caminho.

Volto pra casa mais iluminado.

Kiruna e Abisko – 21 a 22 de Janeiro

Tudo deu errado mas ao mesmo tempo não deu tão errado assim. Não fomos para Tromsø, mas acabamos indo parar num paraíso de gelo: Kiruna. Lá conseguimos fotografar a tão esperada Aurora Boreal. Agora entendemos porque as pessoas falam “caçar” quando se referem a ela. Não é muito fácil encontrá-la. Felizmente, nós conseguimos.

Clique aqui ou na imagem abaixo para ver todas as fotos.

Aurora Boreal em algum ponto entre Kiruna e Abisko
Aurora Boreal em algum ponto entre Kiruna e Abisko

Não morremos, só estamos felizes por termos alcançado nosso objetivo de ver uma das coisas mais lindas da terra

Olá pessoas que nos seguem. Pedimos que não achem que desistimos e que a viagem deu errado. Quer dizer, na verdade deu tudo errado, mas nós somos brasileiros e a nossa especialidade é resolver imprevistos, seja na base da gambiarra ou não.

Abisko National Park Aurora Borealis Sky Station Northern Lights
Neto Macedo e o Gui Soares, em cima do Montes Nuolja, em Abisko, Suécia, com um pouco da Aurora Boreal ao fundo

Todos sabem que não conseguimos chegar até Tromsø e que os trens foram cancelados por causa do frio extremo e perigo de avalahnches. O que vocês não sabem é que sim, conseguimos alcançar nosso objetivo de presenciar e fotografar a Aurora, ainda no Polo Norte, porém na Lapônia!

Agora descobrimos porquê as pessoas falam “caçar” a Aurora. Realmente ela não é fácil de se deixar ver e nós gastamos algum tempo andando alguns kilômetros. Só conseguimos porque tivemos a ajuda de alguns amigos, como o Marco Brotto e a Sarah Galantini, que estiveram nos acompanhando com muitas dicas preciosas.

Portanto, aguardem. A história ainda não acabou e temos muita coisas para contar. Esperem para que tratemos e selecionemos nossas imagens, e vocês poderão ver então o que vimos: um dos fenômenos naturais mais impressionantes do mundo.

P.S.: Na foto não é o sol nascendo, é a lua. Lá presentes eu e o Gui, vestidos de homem-das-neves.

Malmø a Estocolmo – 16 a 18 de janeiro

Decidimos abrir um parêntesis na nossa viagem e passar alguns dias em Estocolmo. Por isso, já compramos as passagens de trem pela SJ com este hiato de 3 dias, que ficaríamos na casa do Lorenzo, nosso host Italiano numa cidade Sueca. Clique aqui ou na foto para ver o álbum completo!

Stockholm Rådhuset
Stockholm Rådhuset

Nossa viagem começou de verdade aqui. Já em Malmø tivemos que dormir uma noite na estação, nas cadeiras mesmo. E depois de mais 4 horas de viagem alcançamos Stockholm, onde mais tarde visitaríamos vários bares legais e muitos lugares interessantes, como o Vasamuseet / The Vasa Museum.Descobrimos que mesmo o fato de ser um país nórdico não faz da Suécia um país necessariamente igual á Dinamarca. As coisas mudam um pouco por aqui. A cidade é muito mais multicultural e as pessoas um pouco mais abertas.

Nossos três dias aqui foram especiais, pois fomos super bem recebidos na casa do Lorenzo, além de termos encontrado amigos brasileiros residentes na cidade, que nos levaram a lugares legais e divertidos.